sexta-feira, 20 de março de 2009

multiculturalismo cativante

five o'clock tea

Outro dia eu estava tomando chá, olhando tudo que estava na bandeja dei risada, me lembrei de um comentário que Jean Paul Brigand do blog La cuisine du jardin fez sobre o meu blog no post "Cuisines de la diversité" (cozinha da diversidade), ele comentou o seguinte:
"La passion de bons produits dans un multiculturalisme captivant : La cuisine d’un brésilien francisé: Panela de cobre - casserole en cuivre" (A paixão por bons produtos em um multiculturalismo cativante, a cozinha de um "brasileiro afrancesado": Panela de cobre).
Certo, meu riso ainda não deve fazer muito sentido pra vocês. Mas olhando a bandeja reparei que as madeleines, receita francesa, foram assadas em forminhas francesas, mas que foram compradas nos Estados Unidos e mandadas pra mim aqui no Brasil, o chá, preto, foi cultivado no Sri Lanka (antigo Ceilão), mas enlatado na Inglaterra e então importado para o Brasil, a colher polvilhadeira de açúcar, é prata holandesa do século XIX, acho que totalmente brasileiro só mesmo o açúcar, orgânico em cubinhos. Ah, e a colherinha de chá também, prata brasileira, de contraste 10 dinheiros (usado durante o império, século XIX).
Se sou um "brésilien francisé" não sei, mas hoje em dia vivemos mesmo cercados por influências e produtos do mundo todo, alguns criticam isso, mas eu acho fantástico!

Chás e madeleines

9 comentários:

Cucchiaio pieno disse...

Aqui, na Italia, costumam dizer: "Todo mundo é mundo", entao VIVA as diversidades! Um abraço, Léia

Pedro disse...

O multiculturalismo realmente é um fenômeno mundial,recentemente tomei conhecimento,que apenas 10% das nações,aínda se mantém homogêneas.
São Paulo,na minha opinião é uma cidade ícone do multiculturalismo,e gastronomicamente falando, uma das mais interessantes do mundo.
O que me assusta no multiculturalismo,e em particular por aqui ,é aquele nosso "jeitinho brasileiro",que pode acabar com uma autêntica receita italiana ou francesa por exemplo.
Aonde em São Paulo,pode-se comer um autêntico "Spaghetti al Pomodoro"?e olha que a cidade possui milhares de cantinas "genuinamente italianas".
O que fizemos com a comida árabe?espalhamos fast-foods,onde as sfihas,assim como as pizzas,ganham estapafúrdios recheios.
Porém ,nada mais me deixa indignado,do que observar(de longe!) uma sublime fatia de pizza,sendo coberta com grosseira camada de catchup,como fazem os meus conterrâneos cariocas.
Multiculturalismo na cozinha? SIM,porém com bom senso e cautela

Pedro disse...

Em tempo...você não falou da origem da sua bandeja!

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Pedro Cruz,carioca,40 e poucos anos,adora cozinhar,coleciona xícaras e jarras antigas,e tem uma labradora chamada Jade.

Adri disse...

vc não é o chacrinha mas tá com tudo e não tá prosa! hahahaha

caterina foi passear... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Porcelana Brasil disse...

Esqueceu de dizer a nacionalidade da louça, para completar a volta ao mundo em uma tarde de chá! abs

Fábio disse...

Então!! melhor ainda!! poderia ter dito "porcelaba luso-brasileira". :-) abs!