sexta-feira, 25 de setembro de 2009

geléia de jabuticabas

jaboticabas

Na casa que era da minha bisavó Diolinda (ou casarinho como diz minha tia avó Ednéia) existe uma grande jabuticabeira, penso que deva ter uns 15 metros de altura. Hoje quem mora naquela casa são meus tios avós, ganhei uma sacola cheia de jabuticabas vindas de lá. A jabuticaba, ou jaboticaba (já vi ser escrita das duas formas, penso que não haja uma regra) é uma fruta brasileira, nativa da Mata Atlântica, o curioso é que seus frutos nascem junto aos galhos e ao tronco da árvore, quando eu era pequeno pensava ser alguma doença da árvore!
Para a geléia usei uma receita da Dona Eny Feliz, de Campo Grande - MS, numa quantidade menor é claro, vou descrever assim como eu fiz:

geléia de jaboticaba


Geléia de jabuticaba

jabuticabas maduras *
água
açúcar cristal

Lave e coloque as jabuticabas numa panela ou tacho grande (usei cerca de 1 quilo de jabuticabas), esmague as jabuticabas pressionando-as com a palma da mão próxima ao punho, cubra com água suficiente para cobrir todas as jabuticabas. Leve ao fogo baixo e deixe cozer até que o caldo fique bem roxo, próximo à cor do vinho. Passe pro uma peneira, só o caldo será aproveitado, descarte o que sobrar na peneira. Pese o caldo e use proporção igual de açúcar (me rendeu 250g de caldo e usei 250g de açúcar cristal orgânico), misture bem e leve ao fogo o mais baixo possível, sem mexer, salvo vez em quando para observar o ponto, deve formar gotas que demoram a se formar e cair da colher. Transfira a geléia ainda quente para um pote limpo e esterilizado e tampe, a geléia ainda é líquida enquanto quente. Em dois dias a geléia estará consistente.

* Nota do Daniel: A geléia ficou bem gostosa, porém bem no fundo senti aquele sabor entre a língua e o céu da boca, mesmo sabor que sentimos quando comemos banana não madura ou chá em que a erva ficou muito tempo na água, perguntei sobre isso ao Bergamo e ele me disse que é adstringência, se deve à umas 4 ou 5 jabuticabas que não estavam muito maduras mas foram junto pra panela, então se você for fazer já aviso, cuidado com as jabuticabas não maduras, use só as frutas bem maduras, é um cuidado que já disse pra ser tomado quando publiquei sobre a geléia de morangos e não sei porque deixei passar despercebido desta vez. Se você quer uma geléia perfeita, lembresse, só frutas bem maduras! :)

13 comentários:

César Ferro disse...

Vou te contar uma coisa: as vezes a adstringência do sabor também é interessante , eu gosto quando tenho uma geléia assim, parece que diminui o doce.Eu gosto muito!
Então para mim ficou perfeita!

Nane Cabral disse...

Adorei! geléia e tudo de bom! Nane vovoqueensinou.blogspot.com

marina disse...

Jabuticaba é minha fruta preferida. Q delícia ter jabuticabeira na casa da vó. Na casa dos meus avós maternos tinha era uma amoreira gigante (ou eu q era pequena e achava ela tão grande - sei lá). Mas, quando a gente ia para as férias em Águas de Lindóia a gente andava todos os sítios atrás de móveis antigos, e, quando tinha jabuticabeira minha mãe comprava a árvore. Era assim: pagava um tanto e a gente podia comer quanta jabuticaba conseguisse daquela árvore específica. Tudo isso prá dizer que adoro a fruta e todas as variações. Aposto q a sua geléia ficou super delícia!

Pedro disse...

Jabuticabas

"Lembro da casinha em que vivia na infância.
Branquinha e simples, era cheia da poesia de pequenos vasos na janela...
Suas flores pareciam colorir o mundo!

A jabuticabeira podia ser vista lá fora,
como se fosse um quadro, emoldurado pelos batentes.
Quando florescia, avisando a chegada das frutas,
enchia de doce expectativa, o paladar e a alma.

Como era bom chupar jabuticabas no pé !
O sabor e o aroma só podem ser comparados à doce saudade de cada lembrança que agora me assalta.
O tempo esvaziou os sonhos,
mas não destruiu certas marcas.

Dizem que as jabuticabeiras são longevas.
Naquela reencontro a mim mesmo...
Reverencio minha árvore mágica, tão plena de frutos que não sobrava espaço nem no tronco.
No melancólico e confortável mundo das boas lembranças,
revisito quem fui e encontro quem sou"

pimentacalabresa disse...

Na casa da minha mãe também tem uma jabuticabeira, ela sempre fazia geléia, pra gente comer com pão e nata!
No entanto, ela usa um pouco menos de açucar...
Fernanda

Silvia disse...

O segredo para não ficar "pegando" é não apertar muito na peneira. Sabe aquela de querer aproveitar até a última gota? Não pode!!!!

Bjsss

Daniel Figueiredo disse...

Silvia, obrigado pelo seu comentário, adorei a dica!

Rita disse...

Poxa, aqui não tem jabuticaba....Nem sei como é o nome em inglês, mas nunca vi aqui. Que vontade que deu, e saudades da casa do nono, que tinha jabuticabeiras a beça...

Anônimo disse...

acho um idiota egocentrico seu blog

Anônimo disse...

acho vc egocentrico idiota anti social e um babaca,vai trabalhar fazer algo na sua vida.vai ajudar pessoas carentes.hipocrita

Mary Flower disse...

Oi, Daniel,
Obrigada pela visita no meu blog... faço a geléia de jaboticaba só com as cascas... isso mesmo, a gente lava as cascas e ferve com açúcar, fica uma delícia. Com o mesmo princípio, dá pra fazer o licor de jaboticaba, só que depois de ferver deve esfriar pra receber a cachaça e ficar no escuro por um mês para apurar o sabor. Canela em pau dá um gostinho especial...

Silvia - BH disse...

A grafia encontrada nos bons dicionários é jabuticaba.

Em Sabará, cidade histórica junto à BH, há o festival da jabuticaba. Pode-se fazer o que a Marina disse, pagar para comer à vontade no pé.

Anônimo disse...

Você anônimo,se não gostou,não gosta do que leu, deste blog guarde só pra si.
Só aqueles que tiveram uma infância, um quintal e sairam de minas Gerais sabem o que é ter uma jabuticabeira.Como tem gostinho de infância bem vivida.Então é melhor não criticar se não tem sensibilidade para "ouvir e entender estrelas".Adorei poder encontrar tantas pesoas a falarem sobre receitas e sabores desta delicia que é a jabuticaba.E sou feliz pois posso colhe-las e come-las,preparar minha geléia e licor.Obrigada