quinta-feira, 23 de agosto de 2007

a bala de pobre

bala

Era assim que minha avó Marietta chamava essas balinhas tão bonitas e totalmente artesanais, balas de pobre. Talvez no tempo dela fosse a bala mais barata que houvesse, o que difere de hoje em dia. Sempre adorei essas balas, ficava imaginando como conseguiam fazer os desenhos dentro delas, seriam desenhados um por um? Depois de alguns poucos segundos na boca elas acabam virando como navalhas, que cortam todo o céu da boca, mas eu não me importava muito com isso. Minha mãe encontrou essas ontem enquanto estava voltando da chácara no interior do estado. Se parecem bastante com os berlingots franceses que encontramos em algumas lojas de importados, são fabricadas no Rio de Janeiro pela Galo Doce, o sabor continua igual ao que eu guardava na memória!

13 comentários:

Elvira disse...

Quando eu era gaiata, em França (fui parisiense por 30 anos), isso era vendido à peça na padaria ou na papelaria até. Chamava-se "berlingots"... Que saudade! :-)

Anônimo disse...

Esta balinha é para mim uma lembrança da infância! Toda vez que íamos (eu e minha mãe) à um mercadinho chinês eu ficava esperando ganhar as balas. Na faculdade descobri como são feitas: é feita uma massa de açúcar, água e glucose; divida em porções que são aromatizadas e coloridas; esticadas em forma de bastoes finos (onde é formado o desenho); são colocadas lada a lado e enroladas como rocambole dentro de uma massa aberta. Depois é só secar e cortar. bjo, Nina (gourmandise).

Pat Feldman disse...

Hummm, sempre adorei essas balinhas!! Meu avô era quem me comprava!!

Depois que ele faleceu, nunca mais tive notícias delas...

Daniel Figueiredo disse...

Tenho um livro que mostra o processo de fabricação dos berlingots(a taste of provence), a fabricação é bem complexa e artesanal, mas acho que são diferentes, pelo menos os que eu já comprei por aqui, importados da frança e também os do livros só tinham desenhos do lado de fora, não dentro.

Marcel Miwa & Nina Moori disse...

Oi Daniel, tem uma "corrente da amizade" rolando no mundo dos blogs e cada um escolhe seus 10 preferidos. Escolhi o teu como sendo um deles...
bjo,Nina.

ĵåииå jōåиïņhå disse...

nooooooooooossa que saudades dessas balinhas. nunca mais vi por aqui! adorava....

Flávia J. F. Solís disse...

Tem um acontecimento bobinho, mas que nunca esqueci que envolve essas balinhas. Umas vez fiquei torcendo pro meu pai trazer uma saquinho delas pra casa. E sem eu falar nada ele trouxe! Lembro que era bem pequena e fiquei impressionada com a "força do meu pensamento", hehehe. Realmente, já vi pra vender nos Frango Assados da vida.

valentina disse...

E o visual é lindo!!

Alegna disse...

ummmmmmm que lindas... o que era mesmo perfeito era ter a receita para fazer estas delicias...

lizgianne disse...

Nossa,minha infancia passou diante dos meus olhos ao ver essas balinhas!!!!!!!!

Em SP elas sao encontradas facilmente na Liberdade!!!

parabens pelo blog!!!!!!!

maria de fatima disse...

Incrível, mas "a bala de pobre" também me transportou no tempo e me fez recordar quando minha madrinha chegava para nos visitar e sorridente trazia o pacotinho com elas. São deliciosas e ainda encontramos em alguns comercios e com certeza tem gostinho de carinho.

Dennis Fukuda disse...

Você encontra com facilidade nos postos de estrada da rede "Frango Assado"!!!

Daniela Kodaira disse...

Ola! muito legal o seu blog, vou tentar acompanha-lo. Eu estava procurando uma imagem destas balinhas pra colocar no meu blog...posso copia-la? Eu aprendi a fazer o mesmo, mas com massinhas...
obrigada e parabéns!